Mais de 500 servidores podem ter salário suspenso por não realizarem recadastramento

Criada em: 06/06/2019 15:03

Além das suspensão do salário, os servidores que não realizaram recadastro podem sofrer processo administrativo.

Cerca de 536 servidores do estado podem ter salários suspensos por não concluírem todas as fases do recadastramento realizado pela Secretaria da Administração (SECAD). O período para a atualização dos dados foi encerrado no dia 31 de março deste ano.

Estes servidores agora devem apresentar, nos dias 10 ou 11 de junho, a declaração de exercício atualizada, assinada pela chefia imediata, na Unidade de Recursos Humanos (RH)  do seu órgão de lotação, para evitar a suspensão da remuneração partir do próximo mês.

Após o encerramento deste prazo, as justificativas serão analisadas e em caso de deferimento, deverá encaminhar à Secad os documentos apresentados para que sejam tomadas as providências cabíveis.

Além de ter as remunerações suspensas, os servidores, que não justificarem a ausência, poderão sofrer processo administrativo.

O recadastramento teve início no dia 18 de dezembro de 2018 e foi dividido em duas fases, uma online e uma presencial. Mais de 97% dos servidores atualizaram suas informações.

De acordo com a Secad, os servidores que se encontrarem em quaisquer dos afastamentos previstos em lei, cedido com ônus ou não para seu órgão de origem, somente serão recadastrados após seu retorno ao efetivo exercício no órgão de lotação ou entidade de origem, no prazo de 10 dias após o retorno. 

Atualizada em: 07/06/2019 15:31
Compartilhar
SBT Tocantins 2019